10 alimentos que ajudam a reduzir a gordura

Emagrecer nem sempre é uma tarefa fácil, e é que, normalmente, custa-nos eliminar a gordura de uma determinada área do nosso corpo que tende a acumular-se sem que possamos fazer nada a respeito, ou será que sim?

Eliminar a gordura teimosa do nosso corpo é simples, se sabemos como fazê-lo, e é que, para isso, não é necessário seguir dietas rigorosas nem nada pelo estilo, mas que é fundamental ingerir alimentos que nos ajudam a eliminar as gorduras ou de conseguir que o nosso corpo não os armazene.

Desde Vitónica vamos dar-vos uma lista de 10 alimentos que nos ajudam nesta tarefa.

O repolho tanto cru como cozido é fundamental, já que seu alto teor em vitaminas e minerais como a vitamina A, B1, B2, B6, niacina, cálcio, magnésio… ajuda o nosso corpo metabolice melhor as gorduras.

Os citrinos, as laranjas em concreto, pois está comprovado que conseguem baixar os níveis de açúcar no sangue, além de ser bons aliados na perda de peso. (Presente no Alfacaps)

Não devemos esquecer a beterraba, que contém altas doses de betanina, uma substância que melhora a atividade do rim, permitindo assim eliminar mais gordura do organismo.

Ao igual que a maçã contém pectina em sua casca uma substância gelatinosa que retarda a digestão e gera uma sensação de saciedade. Mas, além disso, tem uma função importante como absorver as gorduras.

A cebola e o alho são importantes por sua capacidade de acelerar o metabolismo, evitando que as gorduras se acumulem.

A alface é um bom aliado, pois contém altas doses de ferro e magnésio que ajudam a queimar gorduras do organismo, além de aportarnos outra série de nutrientes importantes para o nosso corpo.

A carne é importante que seja branca, de aves, de preferência, pois contêm menos gordura. Isso sim, sempre há que cozinhá-las sem pele. Se comemos carne de outro tipo é aconselhável escolher as carnes magras, como carne de vaca, o coelho, a lebre… É importante deixar de usar molhos , como maionese. Se queremos adicionar sabor aos nossos pratos podemos usar suco de limão ou de mostarda, que tem propriedades aceleradores do metabolismo.

Os cereais devem ser um alimento principal. A aveia é uma das melhores opções, pois é difícil de digerir do que a saciedade é maior, além de ajudar a reduzir o colesterol.

Os temperos são muito aconselhadas para combater as gorduras, concretamente, a canela, o que acelera a metabolização do açúcar e baixa seus níveis no sangue. E o gengibre, que acelera o funcionamento do metabolismo.

Os suplementos alimentares termogênicos, conhecidos como verdadeiros queimadores de gordura. Recentemente fiz o teste com um emagrecedor chamado Alfa Caps! Fique muito satisfeita com o seu resultado! Alem de inibir a fome, ele ajuda a eliminar a gordura através das fezes. Conheça mais e saiba como o ALFACAPS FUNCIONA acessando no link.

10 dicas para cuidar da saúde digestiva

Sabe-Se que três em cada quatro espanhóis têm problemas digestivos e que, entre as mais comuns está a prisão de ventre. Dado que um estilo de vida adequado é o primeiro passo para manter o bem-estar digestivo, hoje trazemos-lhe 10 dicas para cuidar da saúde digestiva , sem lançar mão de recursos milagrosos, simplesmente cuidando de nossos hábitos:

  • Consumir fibra suficiente para jornal, para o qual, é recomendável consumir frutas frescas com pele, cereais integrais e vegetais crus, bem como legumes que ajudam a inserir mais fibras à dieta.
  • Ingerir leites fermentados com probióticos diariamente que favorecem o trânsito intestinal e, além disso, reduzem a sensação de inchaço ao contribuir para o funcionamento do aparelho digestivo.
  • Beber bastante água todos os dias ou, em sua substituição, chás e vinhos suaves, evitando sempre bebidas estimulantes e refrigerantes açucarados com gás que podem somar perturbações digestivas.
  • Preferir confecções suaves, como o vapor, forno, papillote ou grelhados, evitando gorduras, molhos e muito picantes ao cozinhar que complicam o processo digestivo.
  • comida

  • Modere o consumo de alimentos flatulentos ou formadores de gases, como couves, alcachofra ou alimentos com sorbitol como chicletes e doces. Não os erradiques de sua dieta, simplesmente consúmelos com moderação.
  • Faça atividade física diariamente para favorecer o trânsito intestinal, melhorar as digestões pesadas e liberar o estresse também pode causar desconfortos digestivos.
  • Repartida a dieta e mantenha horários regulares para as refeições, de forma a evitar refeições pesadas depois de um longo período de jejum.
  • Tente ir ao banheiro sempre à mesma hora, sem pressa e de forma descontraída, bem como na intimidade.
  • Evite o excesso de doces e açúcares, bem como de alimentos gordurosos e irritantes. Também evite o tabaco e o álcool em excesso.
  • Evite o uso de laxantes que podem irritar o intestino e prejudicar longe de ajudar a evitar desconforto digestivo.

Como você pode ver, com estas 10 dicas que podemos cuidar da saúde digestiva só estando atentos aos nossos hábitos, sem o recurso a fármacos ou outras estratégias milagrosas que podem prejudicar mais do que colaborar com nosso processo digestivo.

Mais informações em | Fundação Espanhola do Aparelho Digestivo (FEAD)Imagem | Bochalla e Daniela Vladimirova

10 bons conselhos para se preparar para uma média ou uma maratona

 

10 melhores dicas para se preparar para uma maratona

As longas distâncias, há que tem respeito. São tantas coisas as que levar em conta na hora de preparar uma média ou uma maratona.

Mas é difícil, hoje vamos resumir em 10 dicas para se preparar para uma média ou uma maratona.

Dicas relacionados com o treinamento, o descanso ou a alimentação que devemos seguir para preparar bem uma prova como são os 21 ou 42km.

Toma boa nota e procura cumprir todos os pontos:

  • Segue um bom plano de treino durante pelo menos 2-3 meses: o ideal é preparar este tipo de corrida em mais de três meses, mas se você se sente preparado na forma, ao menos, procura um bom plano de 8 a 12 semanas, você vai ajudar a acabar de uma forma mais eficaz.
  • Vê-se pouco a pouco com sua quilometragem semanal: não se prenda com a correr a distância. Vá aumentando pouco a pouco a quilometragem semana a semana. Um truque é não aumentar mais de 10% dos quilômetros que você fez na semana anterior.Treina em grupo: ajuda motivador e evitar a monotonia.
  • Treina em grupo: correr longas distâncias pode chegar a ser chato, especialmente se as fazemos solo. Procura um grupo com objetivos comuns e se custar menos treinar, além de motivador e fazer melhores treinos.
  • Não se esqueça de treinar a força: músculos mais fortes vão fazer você correr mais rápido e protegê-lo contra lesões. São muitas pedaladas que dar, quanto mais preparados estiverem os seus músculos, melhor. Tente fazer, pelo menos, um treino de força por semana.
  • Descansa depois de um treino duro: depois de um treino de puxada longa ou um dia intenso de séries ou fartlek, faça uma pausa. Tão importante é treinar como descansar, isso nós temos que gravar a fogo.
  • Visita ao fisioterapeuta de forma regular: acumular tantos quilómetros nas pernas tem consequências para os músculos e articulações. O fisioterapeuta pode nos fazer uma afinação a cada 7 ou 15 dias, algo que devemos observar com menos desconforto ao treinar e maior capacidade de trabalho.Um monitor cardíaco com GPS será muito útil para os treinos.
  • Treine com ritmo cardíaco e, se possível, com GPS: embora não seja essencial, a tecnologia ajuda a entender melhor seu corpo. Com monitores de saberemos como estamos de fadiga e com o GPS entrenaremos de forma mais afinada com as distâncias e a velocidade a que corremos. Seguir um plano de treino vai ser mais fácil se usarmos este tipo de tecnologias.
  • Utilizada na preparação das mesmas chinelos: o processo de preparar uma maratona pode ser longo, tenta que os seus chinelos, para que durem até o dia da prova. Mas podemos ir alternando um tipo de tênis com outras (leves ou com mais amortecimento), devem ser as mesmas, garantindo que o dia da prova não haverá imprevistos. Também podemos aplicar esse conselho ao resto de material: calça, camiseta, óculos…
  • A hidratação e a alimentação também tem que entrenarlas: não experimentar coisas novas o dia da prova. Faça tiragens longas beber água entre um e outro, para ver como seu corpo tolera a hidratação. Faça também vários tipos de pequenos-almoços e refeições, e veja com qual você se sente melhor.
  • Pratique a sua estratégia de corrida: há pessoas que lhe vai melhor começar devagar e vá aumentando o ritmo aos poucos, ou vice-versa. Experimenta nas tiragens longas qual vai ser a sua estratégia de corrida, esse ritmo com o qual você se sente confortável, ou os pontos kilométricos onde notas que vai acumulando fadiga, para preparar-se mentalmente para o dia da prova.

Como dissemos no início, preparar um destes testes não é fácil, precisa de tempo e constância na preparação.

Com um bom plano de treino ajustado à nossa condição física, em 4-5 meses podemos correr a nossa primeira grande prova.

E permiti-me um último conselho a nível psicológico: plantearos um objetivos viável na prova, assim à medida que você avança e você vê que você pode alcançar, a sua motivação aumentará de forma significativa e far-vos-á mais fácil assimilar esses últimos quilômetros tão duros.